[RESENHA] Jogos Vorazes, de Suzanne Collins.

(y'

Nome: Jogos Vorazes. 

Autora: Suzanne Collins

Editora: Rocco Jovens Leitores

Edição: 1

Ano: 2008

Paginas: 397

Tradutor: Alexandre D’Elia

INBS:978-85-7980-024-5

Sinopse: 

Após o fim da América do Norte, uma nova nação chamada Panem surge. Formada por doze distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital. Uma das formas com que demonstram seu poder sobre o resto do carente país é com Jogos Vorazes, uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de doze a dezoito anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte! Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Peeta, um garoto que ajudou sua família no passado, também foi selecionado. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre. Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos Jogos Vorazes?

Comentários:

A narração de Suzanne Collins é em primeira pessoa e todo o livro é na visão da personagem principal, Katniss. A narração da obra de Collins é pobre em enrolação: tudo direto ao ponto, nada de rodeios. Porém, isso não a deixa pobre em detalhes. Mesmo sem o filme, consegui visualizar todo o cenário e pessoas; Suzanne ganhou pontos comigo logo de cara por ser tão direta.

Katniss Everdeen é o tipo de personagem que anda escasso nos livros. Se eu não gostasse dela, com plena certeza, não teria nem terminado o livro. Ela expõe muito bem o seu jeito em cada página, como: sua força, determinação, sofrimento e amor pela irmã. Depois da morte do pai, ela precisa, literalmente, alimentar sua família  – coisa que faz com a caça. Algo que ela não esperava é que sua vida virasse totalmente de cabeça para baixo (se é que dava pra isso acontecer) quando, ao ver sua irmã ser sorteada justo no primeiro ano em que põe seu nome no sorteio, se oferece como tributo. Então, ela parte para a capital com Peeta Mellark, o tributo masculino, e vai para os Jogos somente com um pensamento: precisa retornar para ajudar sua irmã e sua mãe na difícil vida do Distrito 12. Mas, se tem algo que ela não espera é se tornar uma verdadeira rebelde ao ver impostos a ela temas como um governo extremamente autoritário e uma luta injusta na qual somente um pode ser campeão.

Segue em lista alguns outros personagens que se destacam na narrativa de Collins:

Primrose Everdeen é uma garota sensível, na medida do possível. Nesse primeiro livro, pouco se vê a personagem, mas, de acordo com Katniss, ela é amada por todos, por causa do seu jeito de  lidar com as pessoas e sua sensibilidade com a medicina.

Peeta Mellark é um bom garoto, que preza pelo jeito de ser. Ele é esperto e muito inteligente, consegue enxergar muito além do que se vê nos Jogos Vorazes. Sem ele, Katniss morreria logo de início.

Cinna é o estilista de Katniss e um amigo também. Eu amei o personagem, pois é incrível, criativo e esperto.

Rue é tão marcante quanto Prim. Tem apenas 12 anos e foi selecionada para os Jogos. Apesar da pouca idade, a garota é esperta, muito esperta. Sua morte me fez chorar tanto e só aí a raiva do Capital realmente surgiu. Nesse momento consegui entender a dimensão da filosofia que o livro traz.

Snow. Repugnante. Pode ganhar muito bem o vilão do ano. É muito óbvio que por ser um livro distópico, o regime político não é nada perfeito. Apesar de não considerar um regime do não — não pode isso, não pode aquilo — tem suas severas leis, mas a maior é contida naquelas tão conhecidas frases: Happy Hunger Games! And May The Odds Be Ever In Your Favor. Pois é, que a sorte sempre esteja ao seu favor, seja tributo ou não, dentro ou fora dos jogos. Com esse tipo de governo, você só pode contar com a sorte mesmo.

Diagramação:

A diagramação do livro é muito boa. Só tive contato físico com a edição brasileira e adorei: folhas de boa qualidade, amareladas, etc.

O livro tem apenas uma capa no Brasil, e por sinal não precisa de outra, pois a que conhecemos por aqui é muito bonita: como não se apaixonar logo de cara por aquele tordo preso em um círculo, que só depois descobrimos ser o amuleto da sorte de Katniss Everdeen? Quando o ponto é “erros ortográficos”, a Editora Rocco não peca tanto quanto a Intrínseca, porém acabei achando alguns que, pelo visto, foram somente de digitação. Sobre a letra posso dizer que é de um tamanho bom, nada exagerado, mas também nada muito pequeno.

Quando o trabalho é tão bom, reconhecemos logo de cara: uma história ótima, com personagens ótimos e uma diagramação quase no mesmo nível.

“A historia me fez passar varias noites em claro porque, mesmo quando terminava de ler, ficava acordada pensando: Jogos Vorazes é surpreendente”

– Stephenie Meyer.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s